“Vende tudo o que tens e segue-me!”

28º Domingo do Tempo Comum

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 10,17-30

Naquele tempo:
17 Quando Jesus saiu a caminhar, veio alguém correndo,
ajoelhou-se diante dele, e perguntou:
‘Bom Mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna?’
18 Jesus disse: ‘Por que me chamas de bom?’
Só Deus é bom, e mais ninguém.
19 Tu conheces os mandamentos:
não matarás; não cometerás adultério; não roubarás;
não levantarás falso testemunho;
não prejudicarás ninguém;
honra teu pai e tua mãe!’
20 Ele respondeu: ‘Mestre, tudo isso
tenho observado desde a minha juventude’.
21 Jesus olhou para ele com amor, e disse:
‘Só uma coisa te falta:
vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres,
e terás um tesouro no céu.
Depois vem e segue-me!’
22 Mas quando ele ouviu isso, ficou abatido
e foi embora cheio de tristeza,
porque era muito rico.
23 Jesus então olhou ao redor e disse aos discípulos:
‘Como é difícil para os ricos entrar no Reino de Deus!’
24 Os discípulos se admiravam com estas palavras,
mas ele disse de novo:
‘Meus filhos, como é difícil entrar no Reino de Deus!
25 É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha
do que um rico entrar no Reino de Deus!’
26 Eles ficaram muito espantados ao ouvirem isso,
e perguntavam uns aos outros:
‘Então, quem pode ser salvo?’
27 Jesus olhou para eles e disse:
‘Para os homens isso é impossível, mas não para Deus.
Para Deus tudo é possível’.
28 Pedro então começou a dizer-lhe:
‘Eis que nós deixamos tudo e te seguimos’.
29 Respondeu Jesus:
‘Em verdade vos digo,
quem tiver deixado casa,
irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos,
campos, por causa de mim e do Evangelho,
30 receberá cem vezes mais agora, durante esta vida
- casa, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos,
com perseguições -
e, no mundo futuro, a vida eterna.

Meditando a palavra

A liturgia do 28º Domingo do Tempo Comum convida-nos a reflectir sobre as escolhas que fazemos; recorda-nos que nem sempre o que reluz é ouro e que é preciso, por vezes, renunciar a certos valores perecíveis, a fim de adquirir os valores da vida verdadeira e eterna.
Na primeira leitura, um “sábio” de Israel apresenta-nos um “hino à sabedoria”. O texto convida-nos a adquirir a verdadeira “sabedoria” (que é um dom de Deus) e a prescindir dos valores efémeros que não realizam o homem. O verdadeiro “sábio” é aquele que escolheu escutar as propostas de Deus, aceitar os seus desafios, seguir os caminhos que Ele indica.
O Evangelho apresenta-nos um homem que quer conhecer o caminho para alcançar a vida eterna. Jesus convida-o renunciar às suas riquezas e a escolher “caminho do Reino” – caminho de partilha, de solidariedade, de doação, de amor. É nesse caminho – garante Jesus aos seus discípulos – que o homem se realiza plenamente e que encontra a vida eterna.
A segunda leitura convida-nos a escutar e a acolher a Palavra de Deus proposta por Jesus. Ela é viva, eficaz, actuante. Uma vez acolhida no coração do homem, transforma-o, renova-o, ajuda-o a discernir o bem e o mal e a fazer as opções correctas, indica-lhe o caminho certo para chegar à vida plena e definitiva.(Leia mais...)

Rezando a Palavra

Salmo – Sl 89,12-13.14-15.16-17 (R.Cf. 14)
R. Saciai-nos, ó Senhor, com vosso amor,e exultaremos de alegria!

12 Ensinai-nos a contar os nossos dias,
e dai ao nosso coração sabedoria!
13 Senhor, voltai-vos! Até quando tardareis?
Tende piedade e compaixão de vossos servos!

14 Saciai-nos de manhã com vosso amor,
e exultaremos de alegria todo o dia!
15 Alegrai-nos pelos dias que sofremos,
pelos anos que passamos na desgraça!

16 Manifestai a vossa obra a vossos servos,
e a seus filhos revelai a vossa glória!
17 Que a bondade do Senhor e nosso Deus
repouse sobre nós e nos conduza!
Tornai fecundo, ó Senhor, nosso trabalho.