Não sede incrédulo, mas fiel (Jo 20, 19-31) | Paróquia Divino Salvador

Não sede incrédulo, mas fiel (Jo 20, 19-31)

2º Domingo da Páscoa

Evangelho – Jo 20,19-31

19 Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana,
estando fechadas, por medo dos judeus,
as portas do lugar onde os discípulos se encontravam,
Jesus entrou e pondo-se no meio deles,
disse: ‘A paz esteja convosco’.
20 Depois destas palavras,
mostrou-lhes as mãos e o lado.
Então os discípulos se alegraram
por verem o Senhor.
21 Novamente, Jesus disse: ‘A paz esteja convosco.
Como o Pai me enviou, também eu vos envio’.
22 E depois de ter dito isto,
soprou sobre eles e disse: ‘Recebei o Espírito Santo.
23 A quem perdoardes os pecados
eles lhes serão perdoados;
a quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos’.
24 Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze,
não estava com eles quando Jesus veio.
25 Os outros discípulos contaram-lhe depois:
‘Vimos o Senhor!’. Mas Tomé disse-lhes:
‘Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos,
se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos
e não puser a mão no seu lado, não acreditarei’.
26 Oito dias depois, encontravam-se os discípulos
novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles.
Estando fechadas as portas, Jesus entrou,
pôs-se no meio deles e disse: ‘A paz esteja convosco’.
27 Depois disse a Tomé:
‘Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos.
Estende a tua mão e coloca-a no meu lado.
E não sejas incrédulo, mas fiel’.
28 Tomé respondeu: ‘Meu Senhor e meu Deus!’
29 Jesus lhe disse: ‘Acreditaste, porque me viste?
Bem-aventurados os que creram sem terem visto!’
30 Jesus realizou muitos outros sinais
diante dos discípulos,
que não estão escritos neste livro.
31 Mas estes foram escritos para que acrediteis que
Jesus é o Cristo, o Filho de Deus,
e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.

Refletindo a Palavra

Após a ressurreição, Jesus vai a encontro do grupo dos seus discípulos tímidos e temerosos pela própria vida. Estão reunidos todos num mesmo local, à exceção de Tomé. Jesus se coloca no seu meio, e confirma a missão de cada um deles. Devem continuar a obra do Mestre. Da mesma forma como Ele foi enviado pelo Pai, agora de forma semelhante os envia. Não os envia de “mãos vazias”, mas dá-lhes o Espirito Santo.
É na comunidade que Jesus se faz presente. Tomé, não estava com os demais na ocasião da aparição narrada no evangelho desse domingo. Os demais contam o acontecido para Tomé: o Senhor lhes apareceu! Ele duvida, talvez por que o testemunho daqueles não fora tão convincente. A atitude de Tomé, a bem da verdade, vem em socorro da descrença de muitos cristãos de então e de nossos dias. Ele faz questão de colocar seu dedo nas chagas do Cristo Ressuscitado. Uma semana depois, novamente os discípulos reunidos, Tomé com eles, Jesus se coloca no meio deles. Tomé pode então comprovar que o Cristo Ressuscitado é o Cristo Crucificado, e não um fantasma, uma ilusão.
Ouçamos a voz do Senhor que diz “não sede incrédulo, mas fiel”. Levemos, com efusiva alegria a novidade: “Jesus ressuscitou”. Façamo-lo com nossas próprias vidas e testemunho. Ressurreição é renovação, é alegria. Que a Mãe do Divino Salvador Ressuscitado interceda por cada um de nós, para que levemos a Luz da Ressurreição ao mundo, envolto em trevas.