“Julgará os humildes com justiça.”

 

2º Domingo do Advento

Evangelho de Jesus Cristo Segundo Matheus – Mt 3, 1-12
1 Naqueles dias, apareceu João Batista,
pregando no deserto da Judéia:
2 ‘Convertei-vos, porque o Reino dos Céus está próximo.’
3 João foi anunciado pelo profeta Isaías, que disse:
‘Esta é a voz daquele que grita no deserto:
preparai o caminho do Senhor,
endireitai suas veredas!’
4 João usava uma roupa feita de pêlos de camelo
e um cinturão de couro em torno dos rins;
comia gafanhotos e mel do campo.
5 Os moradores de Jerusalém, de toda a Judéia
e de todos os lugares em volta do rio Jordão
vinham ao encontro de João.
6 Confessavam os seus pecados
e João os batizava no rio Jordão.
7 Quando viu muitos fariseus e saduceus
vindo para o batismo, João disse-lhes:
‘Raça de cobras venenosas, quem vos ensinou
a fugir da ira que vai chegar?
8 Produzi frutos que provem a vossa conversão.
9 Não penseis que basta dizer: ‘Abraão é nosso pai’,
porque eu vos digo: até mesmo destas pedras
Deus pode fazer nascer filhos de Abraão.
10 O machado já está na raiz das árvores,
e toda árvore que não der bom fruto
será cortada e jogada no fogo.
11 Eu vos batizo com água para a conversão,
mas aquele que vem depois de mim
é mais forte do que eu.
Eu nem sou digno de carregar suas sandálias.
Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.
12 Ele está com a pá na mão;
ele vai limpar sua eira
e recolher seu trigo no celeiro;
mas a palha ele a queimará
num fogo que não se apaga.’

Refletindo a Palavra

Podemos situar o tema deste domingo à volta da missão profética. Ela é um apelo à conversão, à renovação, no sentido de eliminar todos os obstáculos que impedem a chegada do Senhor ao nosso mundo e ao coração dos homens. Esta missão é uma exigência que é feita a todos os baptizados, chamados – neste tempo em especial – a dar testemunho da salvação/libertação que Jesus Cristo veio trazer.
O Evangelho apresenta-nos o profeta João Baptista, que convida os homens a uma transformação total quanto à forma de pensar e de agir, quanto aos valores e às prioridades da vida. Para que Jesus possa caminhar ao encontro de cada homem e apresentar-lhe uma proposta de salvação, é necessário que os corações estejam livres e disponíveis para acolher a Boa Nova do Reino. É esta missão profética que Deus continua, hoje, a confiar-nos.
A primeira leitura sugere que este “caminho” de conversão é um verdadeiro êxodo da terra da escravidão para a terra da felicidade e da liberdade. Durante o percurso, somos convidados a despir-nos de todas as cadeias que nos impedem de acolher a proposta libertadora que Deus nos faz. A leitura convida-nos, ainda, a viver este tempo numa serena alegria, confiantes no Deus que não desiste de nos apresentar uma proposta de salvação, apesar dos nossos erros e dificuldades.
A segunda leitura chama a atenção para o facto de a comunidade se dever preocupar com o anúncio profético e dever manifestar, em concreto, a sua solidariedade para com todos aqueles que fazem sua a causa do Evangelho. Sugere, também, que a comunidade deve dar um verdadeiro testemunho de caridade, banindo as divisões e os conflitos: só assim ela dará testemunho do Senhor que vem.

Rezando a palavra

Salmo – Sl 71,1-2.7-8.12-13.17 (R.cf 7)

R.Nos seus dias a justiça florirá.

1 Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus,
vossa justiça ao descendente da realeza!
2 Com justiça ele governe o vosso povo,
com eqüidade ele julgue os vossos pobres.

7 Nos seus dias a justiça florirá
e grande paz, até que a lua perca o brilho!
8 De mar a mar estenderá o seu domínio,
e desde o rio até os confins de toda a terra!

12 Libertará o indigente que suplica,
e o pobre ao qual ninguém quer ajudar.
13 Terá pena do indigente e do infeliz,
e a vida dos humildes salvará.

17 Seja bendito o seu nome para sempre!
E que dure como o sol sua memória!
Todos os povos serão nele abençoados,
todas as gentes cantarão o seu louvor!