Igreja em saída

Igreja em saída

Desde o início de seu ministério o Papa Francisco tem, insistentemente, convocado toda a Igreja a se pôr em atitude missionária em saída. “Sair da própria comodidade e ter a coragem de alcançar todas as periferias que precisam da luz do Evangelho” (EG 20). Sair, ir ao encontro do outro, não de mãos vazias, mas levando a Palavra de Deus que é poderosa e possui uma eficácia própria, como o fermento na massa ou a semente na terra.

Quem sai e vai em missão, jamais o faz em nome próprio, mas em nome de sua Comunidade de Igreja, em resposta àquele – “Ide por todo mundo, proclamai o Evangelho” (Mc 16,15). Esse envio missionário do Senhor ultrapassa o tempo e o espaço, assim chega até nós, hoje!

Desde o Batismo, a missionariedade faz parte da vocação de todos os cristãos. Portanto, a missionariedade, que é seguimento de Jesus, não é uma especialização pastoral ao lado de outras atividades eclesiais” (Suess P.)

Significativo é o convite de D. Casaldáliga, bispo:

“Desejaria que todos e  cada um de nós pudesse visitar, pelo menos em espírito, a própria pia batismal, mergulhar nela a nossa cabeça e redescobrir a missionariedade

do próprio Batismo. Eu sou batizado? Então devo ser missionário. Se eu não sou missionário, então não sou cristão!”

A fé cristã viva e autêntica leva ao anúncio de Jesus Cristo ao testemunho e ação coerentes; isto é, a uma ética de fraternidade e justiça. Não qualquer justiça, mas à do Reino de Deus. Anunciar e testemunhar Jesus Cristo, rosto humano de Deus e rosto divino do homem. O rosto misericordioso e compassivo, do Abbá! Pai!

A Igreja tem a missão de anunciar a misericórdia de Deus, coração pulsante do Evangelho, que, por meio dela deve chegar ao coração e à mente de cada pessoa… especialmente àqueles que vivem nas periferias existenciais” (Pp Francisco)

Tendo em vista a realidade social e religiosa da Arquidiocese de Campinas e o imperativo evangélico do envio, D. Airton José dos Santos convocou nossa Igreja para uma Jornada Missionária, especial e intensa, durante os meses finais deste ano, conforme documento: Igreja em saída. Está em andamento, pois, a Jornada Missionária nas Paróquias, Comunidades e demais setores da Arquidiocese.

Nesses dias colhi o depoimento de pessoas que estão indo em visita a casas, edifícios, instituições de abrigo, comércio e lá onde mais são convidados ou entendem oportuno fazê-lo. Com raras exceções dão testemunho de acolhimento fraterno e grato. Conhecem novas pessoas, a história de vida delas, sua luta cotidiana com alegrias, sofrimentos e esperança. Na ocasião fazem uma leitura orante da Palavra de Deus. Rezam juntos. Invocam a bênção de Deus sobre a família.

O Senhor designou outros setenta e dois, e os enviou dois a dois à sua frente a toda cidade e lugar aonde ele próprio devia ir… Foram e voltaram com alegria… E Jesus disse: Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste essas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos” (Cfr Lc 10)

O Salmo 126, de forma profética e orante, expressa o mesmo sentimento: “Os que semeiam com lágrimas, ceifam em meio a canções. Vão andando e chorando ao levar a semente; ao voltar, voltam cantando, trazendo seus feixes”.

Você, prezado leitor(a) pode participar da Jornada Missionária, recebendo ou solicitando uma visita, indicando pessoas, famílias ou situações humanas que gostariam ou precisariam de uma visita fraterna por parte da Igreja. Nesse caso, entre em contato com sua Paróquia.

Pe. José Arlindo de Nadai – Paróquia Divino Salvador