“Hoje a salvação entrou nesta casa”

31º DOMINGO Tempo Comum

Evangelho de Jesus Cristo Segundo Lucas – Evangelho – Lc 19,1-10

Naquele tempo:
1 Jesus tinha entrado em Jericó
e estava atravessando a cidade.
2 Havia ali um homem chamado Zaqueu,
que era chefe dos cobradores de impostos e muito rico.
3 Zaqueu procurava ver quem era Jesus,
mas não conseguia, por causa da multidão,
pois era muito baixo.
4 Então ele correu à frente
e subiu numa figueira para ver Jesus,
que devia passar por ali.
5 Quando Jesus chegou ao lugar,
olhou para cima e disse:
‘Zaqueu, desce depressa! Hoje eu devo ficar na tua casa.’
6 Ele desceu depressa, e recebeu Jesus com alegria.
7 Ao ver isso, todos começaram a murmurar, dizendo:
‘Ele foi hospedar-se na casa de um pecador!’
8 Zaqueu ficou de pé, e disse ao Senhor:
‘Senhor, eu dou a metade dos meus bens aos pobres,
e se defraudei alguém, vou devolver quatro vezes mais.’
9 Jesus lhe disse:
‘Hoje a salvação entrou nesta casa,
porque também este homem é um filho de Abraão.
10 Com efeito, o Filho do Homem
veio procurar e salvar o que estava perdido.’

Refletindo a Palavra

A liturgia deste domingo convida-nos a contemplar o quadro do amor de Deus. Apresenta-nos um Deus que ama todos os seus filhos sem excluir ninguém, nem sequer os pecadores, os maus, os marginais, os “impuros”; e mostra como só o amor é transformador e revivificador.
Na primeira leitura um “sábio” de Israel explica a “moderação” com que Deus tratou os opressores egípcios. Essa moderação explica-se por uma lógica de amor: esse Deus omnipotente, que criou tudo, ama com amor de Pai cada ser que saiu das suas mãos – mesmo os opressores, mesmo os egípcios – porque todos são seus filhos.
O Evangelho apresenta a história de um homem pecador, marginalizado e desprezado pelos seus concidadãos, que se encontrou com Jesus e descobriu n’Ele o rosto do Deus que ama… Convidado a sentar-se à mesa do “Reino”, esse homem egoísta e mau deixou-se transformar pelo amor de Deus e tornou-se um homem generoso, capaz de partilhar os seus bens e de se comover com a sorte dos pobres.
A segunda leitura faz referência ao amor de Deus, pondo em relevo o seu papel na salvação do homem (é d’Ele que parte o chamamento inicial à salvação; Ele acompanha com amor a caminhada diária do homem; Ele dá-lhe, no final da caminhada, a vida plena)… Além disso, avisa os crentes para que não se deixem manipular por fantasias de fanáticos que aparecem, por vezes, a perturbar o caminho normal do cristão.

Rezando a palavra

Salmo – Sl 144,1-2.8-9.10-11.13cd-14 (R.cf.1)

R.Bendirei eternamente vosso nome;
para sempre, ó Senhor, o louvarei!

1 Ó meu Deus, quero exaltar-vos, ó meu Rei,
e bendizer o vosso nome pelos séculos.
2 Todos os dias haverei de bendizer-vos,
hei de louvar o vosso nome para sempre.

8 Misericórdia e piedade é o Senhor,
ele é amor, é paciência, é compaixão.
9 O Senhor é muito bom para com todos,
sua ternura abraça toda criatura.

10 Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem,
e os vossos santos com louvores vos bendigam!
11 Narrem a glória e o esplendor do vosso reino
e saibam proclamar vosso poder!

13c O Senhor é amor fiel em sua palavra,
13d é santidade em toda obra que ele faz.
14 Ele sustenta todo aquele que vacila
e levanta todo aquele que tombou.