HAVERÁ PÁSCOA?

Do alto da cruz, encimada no Calvário, de braços abertos o Senhor abraça toda a humanidade e derruba o muro da separação e faz de todos os povos um só. Cristo é a nossa paz. (Ef 2,14).

Data: 30/03/2021

 

Pe. José Arlindo de Nadai
Emérito da Paróquia Divino Salvador

 

No final do ano passado, com apreensão se perguntava – Haverá Natal? A questão se colocava por conta da pandemia que ainda nos obriga ao distanciamento social.

Jamais poderíamos imaginar que a pergunta se faria de novo, hoje – Haverá Páscoa?

Sem o mesmo tom poético da resposta à festa do Natal, certamente podemos afirmar – Sim haverá Páscoa.

Celebramos a Páscoa em dois níveis: na fé e na vida. Celebramos a Páscoa em três dimensões: páscoa do pão (Ceia do Senhor) páscoa da cruz (paixão – morte – sepultamento do Senhor) e a páscoa da luz (Ressurreição). É o Tríduo Pascal.

Páscoa do pão. Quem de nós já não viu e contemplou o quadro da Santa Ceia, de Leonardo da Vinci, nas Igrejas ou mesmo nas casas?

Assim como aqueles discípulos estão ali em torno da Mesa com o Senhor, também nós celebramos a Ceia do Senhor, não só na quinta feira Santa, mas em todos os domingos ao longo do ano. Como eles somos convidados a participar da comunhão do pão da vida e do cálice da bênção, Corpo e Sangue do Senhor, sob as espécies do pão e do vinho. “Venham, venham todos para a Ceia do Senhor…”

Entretanto, quem compartilha do pão da mesa do altar, compromete-se a partilhar o pão com os irmãos(ãs); o pão nosso de cada dia e o pão da vida, através da compaixão, solidariedade, acolhimento e cura das feridas.

Vemos o pão da vida sendo partilhado, perigosamente pelos profissionais de saúde e demais envolvidos com os doentes da Covid, em hospitais, enfermarias, UTIs e nas casas pelos próprios familiares.

Páscoa da cruz. Talvez, não haja símbolo religioso mais espalhado, visivelmente à mostra, que a Cruz: nos templos, nas casas, nos cemitérios, nos lugares altos (os cruzeiros), nas praças, ao longo das estradas, em pulseiras e gargantilhas e até em tatuagens. Grande é a devoção do povo ao Crucificado, ao Senhor dos Passos.

Do alto da cruz, encimada no Calvário, de braços abertos o Senhor abraça toda a humanidade e derruba o muro da separação e faz de todos os povos um só. Cristo é a nossa paz. (Ef 2,14).

De seu coração lancetado jorra o sangue redentor e brota a água regeneradora – “Quem beber dessa água, nunca mais terá sede, porque a água que eu darei se tornará nele uma fonte de água, jorrando para a vida eterna.” (Jo 4,14) – “Quando eu for elevado da terra, atrairei todos a mim”.( Jo 12.32).

Na sexta feira santa, celebramos a paixão, morte e sepultamento do Senhor, de forma silenciosa, compassiva e piedosa, com cânticos de lamentação, porém esperançosos!

Nos rostos dos crucificados da história contemporânea, contemplamos o rosto do Senhor crucificado. São rostos de homens, mulheres, jovens e crianças… Hoje, como não fazer memória das vítimas da Covid em nosso país e no mundo inteiro? “Basta o menor e mais informe elemento da natureza, um vírus (invisível) para nos recordar que somos mortais…” Memória das vítimas da violência de todo tipo; e das que morrem de fome, inclusive crianças.

É o corpo de Cristo ferido e caído no chão do caminho de nossa dolorosa contemporaneidade.

Felizmente nunca faltam bons samaritanos e Cirineus!

Páscoa da Luz da Ressurreição.

Dentre as narrativas evangélicas destacamos, parcialmente, a de Lucas e a de Mateus referentes à Ressurreição.

“Por que estais procurando entre os mortos, aquele que está vivo? Não está aqui. Ressuscitou.” (Lc 24,5). Mensagem dos anjos às mulheres!

“E, o próprio Jesus veio-lhes ao encontro e disse: Alegrai-vos… Não tenhais medo”. (Mt 28,9) São as primeiras palavras de Jesus Ressuscitado.

Ora, a Igreja, desde seus primórdios, faz memória deste acontecimento fundante da fé cristã em suas celebrações: na vigília pascal, no domingo da Páscoa da Ressurreição e em todos os domingos ao longo do ano.

Na vigília Pascal irrompe na escuridão da noite a luz resplandecente do Círio Pascal, símbolo do Crucificado Ressuscitado: Eis a Luz de Cristo… Aleluia!“Com os olhos iluminados pela luz de Jesus Cristo Ressuscitado, podemos e queremos contemplar o mundo, a história…” (DAp. 18) e hoje todos os nossos irmãos brasileiros espalhados por esse imenso país, especialmente, porém, os mais pobres e vulneráveis, às consequências econômicas (fome) e sanitárias da pandemia.

Esse olhar desperta em nós sentimentos de empatia, compaixão e de solidariedade que nos motivam e levam a compromissos concretos para a superação da desigualdade e de todo tipo de exclusão social.

À luz da Ressurreição ampliam-se os horizontes e ganham novo vigor as palavras do Senhor: “Dai-lhes, vos mesmos de comer!” (Mc 6,37) e, “Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância” (Jo 10;10).

“Cristo Ressuscitado, bálsamo da vitória da vida sobre a morte, seja perseverança em nosso caminhar”. (CNBB).

Feliz e Santa Páscoa

 

 

ENDEREÇO E CONTATO

Av. Júlio de Mesquita, 126
Campinas - SP
(19) 3255-0541
secretaria@paroquiadivino.org.br

Contato via Whatsapp

MISSAS
Terças, Quartas, Quintas, Sextas e Sábados: 17h
Presencial, limitada a 120 fiéis
Domingos: 10h30 e 18h30
Presencial, limitada a 120 fiéis (40%)



ABERTURA DA IGREJA PARA ORAÇÕES INDIVIDUAIS
2ª feira: 14h às 17h30
3ª a 6ª feira: das 8h às 12h00 | das 14h às 18h
Sábado: 08h às 11h30 | das 15h até o fim da última atividade do dia
Domingo: nos horários das missas

SECRETARIA PAROQUIAL
2ª feira: das 14h às 17h00
3ª a 6ª feira: das 8h às 12h00 | das 14h às 17h
Sábado: das 8h às 12h00

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this