“Ficai atentos e preparados!”

1º Domingo do Advento

Evangelho de Jesus Cristo Segundo Matheus – Evangelho – Mt 24,37-44

Naquele tempo, Jesus disse aos seus discípulos:
37 ‘A vinda do Filho do Homem será como no tempo de Noé.
38 Pois nos dias, antes do dilúvio, todos comiam e bebiam,
casavam-se e davam-se em casamento,
até o dia em que Noé entrou na arca.
39 E eles nada perceberam
até que veio o dilúvio e arrastou a todos.
Assim acontecerá também na vinda do Filho do Homem.
40 Dois homens estarão trabalhando no campo:
um será levado e o outro será deixado.
41 Duas mulheres estarão moendo no moinho:
uma será levada e a outra será deixada.
42 Portanto, ficai atentos!
porque não sabeis em que dia virá o Senhor.
43 Compreendei bem isso: se o dono da casa
soubesse a que horas viria o ladrão,
certamente vigiaria e não deixaria
que a sua casa fosse arrombada.
44 Por isso, também vós ficai preparados!
Porque na hora em que menos pensais,
o Filho do Homem virá.

Refletindo a Palavra

Neste 1º Domingo do Tempo do Advento, a Palavra de Deus apresenta-nos uma primeira abordagem à “vinda” do Senhor.
Na primeira leitura, pela boca do profeta Jeremias, o Deus da aliança anuncia que é fiel às suas promessas e vai enviar ao seu Povo um “rebento” da família de David. A sua missão será concretizar esse mundo sonhado de justiça e de paz: fecundidade, bem-estar, vida em abundância, serão os frutos da acção do Messias.
O Evangelho apresenta-nos Jesus, o Messias filho de David, a anunciar a todos os que se sentem prisioneiros: “alegrai-vos, a vossa libertação está próxima. O mundo velho a que estais presos vai cair e, em seu lugar, vai nascer um mundo novo, onde conhecereis a liberdade e a vida em plenitude. Estai atentos, a fim de acolherdes o Filho do Homem que vos traz o projecto desse mundo novo”. É preciso, no entanto, reconhecê-l’O, saber identificar os seus apelos e ter a coragem de construir, com Ele, a justiça e a paz.
A segunda leitura convida-nos a não nos instalarmos na mediocridade e no comodismo, mas a esperar numa atitude activa a vinda do Senhor. É fundamental, nessa atitude, a vivência do amor: é ele o centro do nosso testemunho pessoal, comunitário, eclesial.

Rezando a palavra

Salmo – Sl 121, 1-2.4-5.6-7.8-9 (R. Cf. 1)

R. Que alegria, quando me disseram:’Vamos à casa do Senhor!

1 Que alegria, quando ouvi que me disseram:
‘Vamos à casa do Senhor!’
2 E agora nossos pés já se detêm,
Jerusalém, em tuas portas. R.

4 para lá sobem as tribos de Israel,
as tribos do Senhor.
Para louvar, segundo a lei de Israel,
o nome do Senhor.
5 A sede da justiça lá está
e o trono de Davi.

6 Rogai que viva em paz Jerusalém,
e em segurança os que te amam!
7 Que a paz habite dentro de teus muros,
tranqüilidade em teus palácios!

8 Por amor a meus irmãos e meus amigos,
peço: ‘A paz esteja em ti!’
9 Pelo amor que tenho à casa do Senhor,
eu te desejo todo bem!