“Eis que conceberás e darás à luz um filho.”

4º Domingo do Advento

Evangelho de Jesus Cristo Segundo Lucas 1,26-38

Naquele tempo:
26 O anjo Gabriel foi enviado por Deus
a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré,
27 a uma virgem, prometida em casamento
a um homem chamado José.
Ele era descendente de Davi
e o nome da virgem era Maria
28 O anjo entrou onde ela estava e disse:
‘Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!’
29 Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a
pensar qual seria o significado da saudação.
30 O anjo, então, disse-lhe:
‘Não tenhas medo, Maria,
porque encontraste graça diante de Deus.
31 Eis que conceberás e darás à luz um filho,
a quem porás o nome de Jesus.
32 Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo,
e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi.
33 Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó,
e o seu reino não terá fim’.
34 Maria perguntou ao anjo:
‘Como acontecerá isso,
se eu não conheço homem algum?’
35 O anjo respondeu:
‘O Espírito virá sobre ti,
e o poder do Altissimo te cobrirá com sua sombra.
Por isso, o menino que vai nascer
será chamado Santo, Filho de Deus.
36 Também Isabel, tua parenta,
concebeu um filho na velhice.
Este já é o sexto mês
daquela que era considerada estéril,
37 porque para Deus nada é impossível’.
38 Maria, então, disse:
‘Eis aqui a serva do Senhor;
faça-se em mim segundo a tua palavra!’
E o anjo retirou-se.

Meditando a Palavra

A liturgia deste domingo diz-nos, fundamentalmente, que Jesus é o “Deus-connosco”, que veio ao encontro dos homens para lhes oferecer uma proposta de salvação e de vida nova.
Na primeira leitura, o profeta Isaías anuncia que Jahwéh é o Deus que não abandona o seu Povo e que quer percorrer, de mãos dadas com ele, o caminho da história… É n’Ele (e não nas sempre falíveis seguranças humanas) que devemos colocar a nossa esperança.
O Evangelho apresenta Jesus como a incarnação viva desse “Deus connosco”, que vem ao encontro dos homens para lhes apresentar uma proposta de salvação. Contém, naturalmente, um convite implícito a acolher de braços abertos a proposta que Ele traz e a deixar-se transformar por ela.
Na segunda leitura, sugere-se que, do encontro com Jesus, deve resultar o testemunho: tendo recebido a Boa Nova da salvação, os seguidores de Jesus devem levá-la a todos os homens e fazer com que ela se torne uma realidade libertadora em todos os tempos e lugares. (leia mais...)

Rezando a Palavra

Salmo – Sl 88,2-3.4-5.27.29 (R.2a)

R. Ao Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor!

2 Ao Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor,
de geração em geração eu cantarei vossa verdade!
3 Porque dissestes: ‘O amor é garantido para sempre!’
E a vossa lealdade é tão firme como os céus.

‘Eu firmei uma Aliança com meu servo, meu eleito,
e eu fiz um juramento a Davi, meu servido
5 Para sempre, no teu trono, firmarei tua linhagem,
de geração em geração garantirei o teu reinado!’

27 Ele, então, me invocará: ‘Ó Senhor,vós sois meu Pai, sois