“Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.”

29º Domingo do Tempo Comum

Evangelho de Jesus Cristo Segundo Matheus – Mt 22,15-21

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 22,15-21
Naquele tempo:
15 Os fariseus fizeram um plano
para apanhar Jesus em alguma palavra.
16 Então mandaram os seus discípulos,
junto com alguns do partido de Herodes,
para dizerem a Jesus:
‘Mestre, sabemos que és verdadeiro
e que, de fato, ensinas o caminho de Deus.
Não te deixas influenciar pela opinião dos outros,
pois não julgas um homem pelas aparências.
17 Dize-nos, pois, o que pensas:
É lícito ou não pagar imposto a César?’
18 Jesus percebeu a maldade deles e disse: ‘Hipócritas!
Por que me preparais uma armadilha?
19 Mostrai-me a moeda do imposto!’
Trouxeram-lhe então a moeda.
20 E Jesus disse:
‘De quem é a figura e a inscrição desta moeda?’
21 Eles responderam: ‘De César.’
Jesus então lhes disse:
‘Dai pois a César o que é de César,
e a Deus o que é de Deus.’

Meditando a Palavra

A liturgia do 29º Domingo do Tempo Comum convida-nos a reflectir acerca da forma como devemos equacionar a relação entre as realidades de Deus e as realidades do mundo. Diz-nos que Deus é a nossa prioridade e que é a Ele que devemos subordinar toda a nossa existência; mas avisa-nos também que Deus nos convoca a um compromisso efectivo com a construção do mundo.
O Evangelho ensina que o homem, sem deixar de cumprir as suas obrigações com a comunidade em que está inserido, pertence a Deus e deve entregar toda a sua existência nas mãos de Deus. Tudo o resto deve ser relativizado, inclusive a submissão ao poder político.
A primeira leitura sugere que Deus é o verdadeiro Senhor da história e que é Ele quem conduz a caminhada do seu Povo rumo à felicidade e à realização plena. Os homens que actuam e intervêm na história são apenas os instrumentos de que Deus se serve para concretizar os seus projectos de salvação.
A segunda leitura apresenta-nos o exemplo de uma comunidade cristã que colocou Deus no centro do seu caminho e que, apesar das dificuldades, se comprometeu de forma corajosa com os valores e os esquemas de Deus. Eleita por Deus para ser sua testemunha no meio do mundo, vive ancorada numa fé activa, numa caridade esforçada e numa esperança inabalável.(leia mais...)

Rezando a Palavra

Salmo – Sl 95,1.2a.3.4-5.7-8.9-10a.c (R. 7ab)

R. ó família das nações, dai ao Senhor poder e glória!

1Cantai ao Senhor Deus um canto novo,
2acantai ao Senhor Deus, ó terra inteira!
3manifestai a sua glória entre as nações,
e entre os povos do universo seus prodígios!

4Pois Deus é grande e muito digno de louvor,
é mais terrível e maior que os outros deuses,
5porque um nada sóo os deuses dos pagãos.
Foi o Senhor e nosso Deus quem fez os céus.

7Â família das nações, dai ao Senhor,
ó nações, dai ao Senhor poder e glória,
8dai-lhe a glória que é devida ao seu nome!
Oferecei um sacrifício nos seus átrios.

9Adorai-o no esplendor da santidade,
terra inteira, estremecei diante dele!
10Publicai entre as nações: ‘Reina o Senhor!’
pois os povos ele julga com justiça.