“Assim como o Pai me enviou também eu vos envio: Recebei o Espírito Santo!”

Domingo de Pentecostes

Evangelho se Jesus Cristo segundo João- Jo 20,19-23

19 Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana,
estando fechadas, por medo dos judeus,
as portas do lugar onde os discípulos se encontravam,
Jesus entrou e pondo-se no meio deles,
disse: ‘A paz esteja convosco’.
20 Depois destas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado.
Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.
21 Novamente, Jesus disse: ‘A paz esteja convosco.
Como o Pai me enviou, também eu vos envio’.
22 E depois de ter dito isto,
soprou sobre eles e disse: ‘Recebei o Espírito Santo.
23 A quem perdoardes os pecados,
eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes,
eles lhes serão retidos’.

 

Meditando a Palavra

O tema deste domingo é, evidentemente, o Espírito Santo. Dom de Deus a todos os crentes, o Espírito dá vida, renova, transforma, constrói comunidade e faz nascer o Homem Novo.
O Evangelho apresenta-nos a comunidade cristã, reunida à volta de Jesus ressuscitado. Para João, esta comunidade passa a ser uma comunidade viva, recriada, nova, a partir do dom do Espírito. É o Espírito que permite aos crentes superar o medo e as limitações e dar testemunho no mundo desse amor que Jesus viveu até às últimas consequências.
Na primeira leitura, Lucas sugere que o Espírito é a lei nova que orienta a caminhada dos crentes. É Ele que cria a nova comunidade do Povo de Deus, que faz com que os homens sejam capazes de ultrapassar as suas diferenças e comunicar, que une numa mesma comunidade de amor, povos de todas as raças e culturas.
Na segunda leitura, Paulo avisa que o Espírito é a fonte de onde brota a vida da comunidade cristã. É Ele que concede os dons que enriquecem a comunidade e que fomenta a unidade de todos os membros; por isso, esses dons não podem ser usados para benefício pessoal, mas devem ser postos ao serviço de todos.

 

Rezando a Palavra

Salmo – Sl 103,1ab.24ac.29bc-30 31.34 (R.30)

R. Enviai o vosso Espírito, Senhor,
e da terra toda a face renovai.

1a Bendize, ó minha alma, ao Senhor!
1b Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande!
24ª Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras
24c Encheu-se a terra com as vossas criaturas!

29b Se tirais o seu respiro, elas perecem
29c e voltam para o pó de onde vieram.
30 Enviais o vosso espírito e renascem
e da terra toda a face renovais.

31 Que a glória do Senhor perdure sempre,
e alegre-se o Senhor em suas obras!
34 Hoje seja-lhe agradável o meu canto,
pois o Senhor é a minha grande alegria!