“Vós abandonais o mandamento de Deus para seguir a tradição dos homens.”

22º Domingo do Tempo Comum

Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 7,1-8.14-15.21-23

Naquele tempo:
1 Os fariseus e alguns mestres da Lei
vieram de Jerusalém e se reuniram em torno de Jesus.
2 Eles viam que alguns dos seus discípulos
comiam o pão com as mãos impuras,
isto é, sem as terem lavado.
3 Com efeito, os fariseus e todos os judeus
só comem depois de lavar bem as mãos,
seguindo a tradição recebida dos antigos.
4 Ao voltar da praça,
eles não comem sem tomar banho.
E seguem muitos outros costumes
que receberam por tradição: a maneira certa de lavar
copos, jarras e vasilhas de cobre.
5 Os fariseus e os mestres da Lei
perguntaram então a Jesus:
‘Por que os teus discípulos
não seguem a tradição dos antigos,
mas comem o pão sem lavar as mãos?’
6 Jesus respondeu:
‘Bem profetizou Isaías a vosso respeito, hipócritas,
como está escrito:
‘Este povo me honra com os lábios,
mas seu coração está longe de mim.
7 De nada adianta o culto que me prestam,
pois as doutrinas que ensinam são preceitos humanos’.
8 Vós abandonais o mandamento de Deus
para seguir a tradição dos homens’.
14 Em seguida, Jesus chamou a multidão para perto de si
e disse: ‘Escutai todos e compreendei:
15 o que torna impuro o homem
não é o que entra nele vindo de fora,
mas o que sai do seu interior.
21 Pois é de dentro do coração humano que saem as
más intenções, imoralidades, roubos, assassínios,
22 adultérios, ambições desmedidas, maldades, fraudes,
devassidão, inveja, calúnia, orgulho, falta de juízo.
23 Todas estas coisas más saem de dentro,
e são elas que tornam impuro o homem’.

 

Meditando a palavra

A liturgia do 22º Domingo do Tempo Comum propõe-nos uma reflexão sobre a “Lei”. Deus quer a realização e a vida plena para o homem e, nesse sentido, propõe-lhe a sua “Lei”. A “Lei” de Deus indica ao homem o caminho a seguir. Contudo, esse caminho não se esgota num mero cumprimento de ritos ou de práticas vazias de significado, mas num processo de conversão que leve o homem a comprometer-se cada vez mais com o amor a Deus e aos irmãos.
A primeira leitura garante-nos que as “leis” e preceitos de Deus são um caminho seguro para a felicidade e para a vida em plenitude. Por isso, o autor dessa catequese recomenda insistentemente ao seu Povo que acolha a Palavra de Deus e se deixe guiar por ela.
No Evangelho, Jesus denuncia a atitude daqueles que fizeram do cumprimento externo e superficial da “lei” um valor absoluto, esquecendo que a “lei” é apenas um caminho para chegar a um compromisso efectivo com o projecto de Deus. Na perspectiva de Jesus, a verdadeira religião não se centra no cumprimento formal das “leis”, mas num processo de conversão que leve o homem à comunhão com Deus e a viver numa real partilha de amor com os irmãos.
A segunda leitura convida os crentes a escutarem e acolherem a Palavra de Deus; mas avisa que essa Palavra escutada e acolhida no coração tem de tornar-se um compromisso de amor, de partilha, de solidariedade com o mundo e com os homens.( leia mais…)

Rezando a Palavra

Salmo – Sl 14,2-3ab.3cd-4ab.5 (R. 1a)

R.Senhor, quem morará em vossa casa
e no vosso monte santo, habitará?

2 É aquele que caminha sem pecado
e pratica a justiça fielmente;
3a que pensa a verdade no seu íntimo
3b e não solta em calúnias sua língua.

3c Que em nada prejudica o seu irmão,
3d nem cobre de insultos seu vizinho;
4a que não dá valor algum ao homem ímpio,
4b mas honra os que respeitam o Senhor.

5 não empresta o seu dinheiro com usura,
nem se deixa subornar contra o inocente.
Jamais vacilará quem vive assim!