“Tu és Simão, filho de João; tu serás chamado Cefas”

2º Domingo do Tempo Comum

Evangelho de Jesus Cristo Segundo João – (Jo 1,35-42)

Naquele tempo,

35 João estava de novo com dois de seus discípulos 36e, vendo Jesus passar, disse:

“Eis o Cordeiro de Deus!”

37 Ouvindo essas palavras, os dois discípulos seguiram Jesus.

38 Voltando-se para eles e vendo que o estavam seguindo, Jesus perguntou:

“O que estais procurando?”

Eles disseram: “Rabi (que quer dizer: Mestre), onde moras?”

39 Jesus respondeu: “Vinde ver”

 Foram pois ver onde ele morava e, nesse dia, permaneceram com ele.

Era por volta das quatro da tarde.

40 André, irmão de Simão Pedro, era um dos dois que ouviram as palavras de João e seguiram Jesus.

41 Ele foi encontrar primeiro seu irmão Simão e lhe disse:

“Encontramos o Messias” (que quer dizer: Cristo).

42 Então André conduziu Simão a Jesus. Jesus olhou bem para ele e disse:

“Tu és Simão, filho de João; tu serás chamado Cefas” (que quer dizer: Pedra).

Meditando a Palavra

A liturgia do 2º Domingo do Tempo Comum propõe-nos uma reflexão sobre a disponibilidade para acolher os desafios de Deus e para seguir Jesus.
A primeira leitura apresenta-nos a história do chamamento de Samuel. O autor desta reflexão deixa claro que o chamamento é sempre uma iniciativa de Deus, o qual vem ao encontro do homem e chama-o pelo nome. Ao homem é pedido que se coloque numa atitude de total disponibilidade para escutar a voz e os desafios de Deus.
O Evangelho descreve o encontro de Jesus com os seus primeiros discípulos. Quem é “discípulo” de Jesus? Quem pode integrar a comunidade de Jesus? Na perspectiva de João, o discípulo é aquele que é capaz de reconhecer no Cristo que passa o Messias libertador, que está disponível para seguir Jesus no caminho do amor e da entrega, que aceita o convite de Jesus para entrar na sua casa e para viver em comunhão com Ele, que é capaz de testemunhar Jesus e de anunciá-l’O aos outros irmãos.
Na segunda leitura, Paulo convida os cristãos de Corinto a viverem de forma coerente com o chamamento que Deus lhes fez. No crente que vive em comunhão com Cristo deve manifestar-se sempre a vida nova de Deus. Aplicado ao domínio da vivência da sexualidade – um dos campos onde as falhas dos cristãos de Corinto eram mais notórias – isto significa que certas atitudes e hábitos desordenados devem ser totalmente banidos da vida do cristão. (Leia mais…)

Rezando a Palavra

Salmo (Sl 39)

“Eis que venho, Senhor!” Com prazer faço a vossa vontade.

Eu disse: “Eis que venho, Senhor!” Com prazer faço a vossa vontade.

Esperando, esperei no Senhor, e inclinando-se, ouviu meu clamor. Canto novo ele pôs em meus lábios, um poema em louvor ao Senhor.

Sacrifício e oblação não quisestes, mas abristes, Senhor, meus ouvidos; não pedistes ofertas nem vítimas, holocaustos por nossos pecados.

E então eu vos disse: “Eis que venho!” Sobre mim está escrito no livro: “Com prazer faço a vossa vontade, guardo em meu coração vossa lei!”

Boas-novas de vossa justiça anunciei numa grande assembleia; vós sabeis: não fechei os meus lábios!