“Tu és o Messias…”

24º Domingo do Tempo Comum

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 8,27-35

Naquele tempo:
27 Jesus partiu com seus discípulos
para os povoados de Cesaréia de Filipe.
No caminho perguntou aos discípulos:
‘Quem dizem os homens que eu sou?’
28 Eles responderam:
‘Alguns dizem que tu és João Batista;
outros que és Elias;
outros, ainda, que és um dos profetas’.
29 Então ele perguntou:
‘E vós, quem dizeis que eu sou?’
Pedro respondeu:
‘Tu és o Messias’.
30 Jesus proibiu-lhes severamente
de falar a alguém a seu respeito.
31 Em seguida, começou a ensiná-los, dizendo
que o Filho do Homem devia sofrer muito,
ser rejeitado pelos anciãos,
pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei;
devia ser morto, e ressuscitar depois de três dias.
32 Ele dizia isso abertamente.
Então Pedro tomou Jesus à parte
e começou a repreendê-lo.
33 Jesus voltou-se, olhou para os discípulos
e repreendeu a Pedro, dizendo:
‘Vai para longe de mim, Satanás!’
Tu não pensas como Deus,
e sim como os homens’.
34 Então chamou a multidão com seus discípulos
e disse: ‘Se alguém me quer seguir,
renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga.
35 Pois quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la;
mas quem perder a sua vida por causa de mim
e do Evangelho, vai salvá-la.

Meditando a palavra

A liturgia do 24º Domingo do Tempo Comum diz-nos que o caminho da realização plena do homem passa pela obediência aos projectos de Deus e pelo dom total da vida aos irmãos. Ao contrário do que o mundo pensa, esse caminho não conduz ao fracasso, mas à vida verdadeira, à realização plena do homem.
A primeira leitura apresenta-nos um profeta anónimo, chamado por Deus a testemunhar a Palavra da salvação e que, para cumprir essa missão, enfrenta a perseguição, a tortura, a morte. Contudo, o profeta está consciente de que a sua vida não foi um fracasso: quem confia no Senhor e procura viver na fidelidade ao seu projecto, triunfará sobre a perseguição e a morte. Os primeiros cristãos viram neste “servo de Jahwéh” a figura de Jesus.
No Evangelho, Jesus é apresentado como o Messias libertador, enviado ao mundo pelo Pai para oferecer aos homens o caminho da salvação e da vida plena. Cumprindo o plano do Pai, Jesus mostra aos discípulos que o caminho da vida verdadeira não passa pelos triunfos e êxitos humanos, mas pelo amor e pelo dom da vida (até à morte, se for necessário). Jesus vai percorrer esse caminho; e quem quiser ser seu discípulo, tem de aceitar percorrer um caminho semelhante.
A segunda leitura lembra aos crentes que o seguimento de Jesus não se concretiza com belas palavras ou com teorias muito bem elaboradas, mas com gestos concretos de amor, de partilha, de serviço, de solidariedade para com os irmãos. (leia mais…)

Rezando a Palavra

Salmo – Sl 114,1-2.3-4.5-6.8-9 (R. 9)

R.Andarei na presença de Deus,junto a ele, na terra dos vivos.

1 Eu amo o Senhor, porque ouve
o grito da minha oração.
2 Inclinou para mim seu ouvido,
no dia em que eu o invoquei.

3 Prendiam-me as cordas da morte,
apertavam-me os laços do abismo;
invadiam-me angústia e tristeza: