… Então saíram e pregaram por toda parte. (Mc 16,15-20)

Ascensão do Senhor

Evangelho – Mc 16,15-20

Naquele tempo:
Jesus se manifestou aos onze discípulos,
15 e disse-lhes:
‘Ide pelo mundo inteiro
e anunciai o Evangelho a toda criatura!
16 Quem crer e for batizado será salvo.
Quem não crer será condenado.
17 Os sinais que acompanharão
aqueles que crerem serão estes:
expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas;
18 se pegarem em serpentes ou beberem algum veneno mortal
não lhes fará mal algum;
quando impuserem as mãos sobre os doentes,
eles ficarão curados’.
19 Depois de falar com os discípulos,
o Senhor Jesus foi levado ao céu,
e sentou-se à direita de Deus.
20 Os discípulos então saíram e pregaram por toda parte.
O Senhor os ajudava e confirmava sua palavra
por meio dos sinais que a acompanhavam.

Refletindo a Palavra

Não acontece uma ruptura na obra de Jesus, após a sua ascensão. Os seus verdadeiros discípulos continuam perpetuando a ação e a presença do Mestre nas estradas do mundo. O Espírito Santo que vai ser enviado, não permitirá que sejam como que nostálgicos espalhando um sonho que se perdeu. Pelo contrário, impelidos pelo Seu fogo devorador, fará com que aquela esperança plantada, semeada pelo Mestre, comece a dar frutos no meio dos homens.
Seus seguidores espalham-se pelo mundo, pregando o Reino de Deus, anunciando a Boa Nova: Jesus Ressuscitou. A presença do Ressuscitado é marcante na caminhada dos discípulos, que já não têm medo de escancarar as portas dos seus corações e “anunciar sobre os telhados” o amor de Deus revelado em Seu Filho Jesus de Nazaré, o Cristo de Deus. Pregam a verdadeira liberdade (“expulsam demônios”), falam a todos os homens da terra indistintamente (“falam novas línguas”); ao anunciarem os ensinamentos de Jesus, sofrem perseguições muitas vezes veladas (“pegam em serpentes”), ou abertamente são combatidos (“bebem venenos”); em comunhão permanente com Jesus, continuam a levar a todos os cantos da terra as mãos do Mestre que abençoa e cura (“cura dos doentes”). Estes são os sinais que acompanham os discípulos ao darem testemunho  da fé no Senhor Jesus Cristo (martyria), o Filho de Deus Vivo.
Após sua ascensão Jesus passa a estar ainda mais presente. De uma outra forma, até mais eficiente. Há um porém – agora, Ele e sua mensagem de amor depende dos seus verdadeiros seguidores, de suas liberdades em Lhe dizer o “sim” a cada dia, a cada instante, para anunciar o Amor de Deus. Como o “sim” de Maria, deve ser repetido, a cada dia. O sim que torna “grávidos” do Cristo aqueles que o dizem. E Cristo continua ansiando por nascer nos corações dos filhos e filhas de Deus, resgatados pelo preço de Seu Sangue. Sangue que constitui o sinal concreto da obediência do Senhor ao Pai, e de Seu imenso amor pelos irmãos: nós pecadores, homens e mulheres, cujos corações só descansam satisfatoriamente em Deus (parafraseando Santo Agostinho).

 (CLIQUE AQUI, E REZE AO SOM DA MÚSICA)