Obrigado, Pe Claudiney!

Oi padre Claudiney
Mais ou menos há um ano atrás, Deus enviou você tão especial para nossa igreja, para ser o nosso pastor, amigo, professor e veio nos abraçando sem nem ter medo se vai entender ou não a nossa língua.
E hoje você sabe um pouco da nossa língua, a Libras, da nossa cultura e com certeza vai levar isso com você nessa nova caminhada.
Que coisa linda levar a nossa cultura… e sei que você está no coração de cada surdo e intérprete.
E você terá que abrir mais ainda o seu coração para caber todos nós aí dentro.
Não se esqueça de nós, pois nós amamos muito você!
Que Deus te abençõe.
Pastoral do Surdo

 

Querido amigo Padre Claudiney:
Há um ano e meio atrás você chegou a nossa paróquia.
Um moço novo, quieto, sempre prestando atenção a todos e em tudo.
Quando o Padre Nadai o apresentou como diácono e que iria se ordenar em breve, não faltaram comentários:
- Que lindo, mas assim novo? Já será Padre? Que benção!
E esse dia chegou, dia 26 de abril de 2014, uma cerimônia linda e abençoada, quanta emoção, poder participar dela foi um privilégio.
Desta data em diante você se dedicou muito a nossa paróquia, aos poucos foi se soltando na timidez e se envolvendo com todos com carinho, atenção e sacerdócio. Sua participação ativa nas pastorais foi excelente, trazendo sempre idéias novas e de grande aproveitamento. Sempre que solicitado visitou doentes dando sua palavra de esperança e benção.
Um exemplo nítido de sacerdócio, servir sempre.
Hoje, estamos tristes com a sua partida porque o queremos muito bem, como a um filho, mas felizes porque sabemos que irá semear suas sementes em outro lugar que também precisa delas.
“Saiu o Semeador a semear a sua semente” (cf Mt 13,3-4)
Queremos agradecer por tudo o que fez por nossa paróquia neste tempo tão curto, porém muito intenso. As suas sementes foram plantadas e cabe a nós colhermos e darmos bons frutos.
Que Deus o abençoe e Maria nossa Mãe o proteja nessa nova caminhada e sempre.
Muito obrigada por tudo!

 

“Ide pelo mundo e pregai o evangelho a toda criatura”
Em 2007, o Papa Bento XVII, recordou que sem nunca haver saído do Carmelo Santa Teresinha do Menino Jesus, viveu à sua maneira um autentico espírito Missionário.
Sua entrega total ao amor Misericordioso de Deus, sua ânsia em salvar almas, cria através da oração, uma profunda comunhão com missionários em terras longínquas, tornando-se assim “Padroeira das Missões”.
Coincidência?!
Hoje, o senhor tão jovem quanto Santa Teresinha, é enviado em missão a uma paróquia que leva o seu nome.
Coincidência?! Não, é o Espírito Santo, agindo e ungindo os escolhidos de Deus, para despertar nos corações, a fé, a confiança no amor misericordioso de Deus para com seus filhos.
Padre Claudinei, que o senhor nunca perca este zelo e encantamento em proclamar a Palavra.
Que as dificuldades em sua caminhada, não o levem a esmorecer. A sua humildade, o seu carinho para com aqueles que o buscaram em momentos de “deserto”, transformou corações.
Neste tempo todo que partilhamos sua companhia, o senhor soube bem “ser conosco” acolhendo, confortando, animando como só o Bom Pastor sabe acolher.
Que suas pregações, toquem corações e tragam sempre mais e mais operários para a messe de Senhor.
Que o Espírito Santo o ilumine sempre e Santa Teresinha interceda pelo senhor junto ao seu adorado Jesus.
Amém.
Obrigada Padre Claudiney
Jô, Hebe Rios e amigos da Missa das 17h do Domingo.

Pe. Claudiney, primeiramente quero agradecer a Deus por tê-lo colocado nas nossas vidas, nas vidas dos surdos. Depois agradeço ao senhor, pelo seu carinho, paciência, pelo seu envolvimento com os surdos, esforçando-se por entendê-los e fazer entender por eles, por ter acreditado nas potencialidades dos surdos e por isso temos hoje – Ministros Surdos extraordinários da Eucaristia.
O tempo foi curto, mas o senhor semeou boas sementes que certamente darão bons frutos.
Foi uma alegria tê-lo conosco. Foi ótimo o senhor interessar-se por aprender LIBRAS para facilitar a comunicação, mas os meus 55 anos de trabalho com surdos me dizem que o mais importante foi o senhor ter utilizado para comunicar-se com os surdos, uma linguagem que é universal, também utilizada por Jesus, a linguagem do AMOR, que realmente aproxima o pastor de suas ovelhas.
Nosso desejo é que o senhor não se esqueça da gente, e que em Sumaré, na Paróquia Santa Teresinha, e nas muitas paróquias por onde passar, o senhor continue semeando boas sementes  e utilizando a LINGUAGEM DO AMOR… e que Deus o abençoe.
Obrigado por tudo.
Ditinha Banhara e Pastoral dos Surdos da Paróquia Divino Salvador.