“O Espírito do Senhor está sobre mim.”

Ceia do Senhor

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João – (Jo 13,1-15)

1 Era antes da festa da Páscoa.

Jesus sabia que tinha chegado a sua hora de passar deste mundo para o Pai;

tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim.

2 Estavam tomando a ceia. O diabo já tinha posto no coração de Judas,

filho de Simão Iscariotes, o propósito de entregar Jesus.

3 Jesus, sabendo que o Pai tinha colocado tudo em suas mãos e que de Deus tinha saído e para Deus voltava,

4 levantou-se da mesa, tirou o manto, pegou uma toalha e amarrou-a na cintura.

5 Derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos,

enxugando-os com a toalha com que estava cingido.

6 Chegou a vez de Simão Pedro. Pedro disse: “Senhor, tu me lavas os pés?”

7 Respondeu Jesus: “Agora, não entendes o que estou fazendo; mais tarde compreenderás”.

8 Disse-lhe Pedro: “Tu nunca me lavarás os pés!”

Mas Jesus respondeu: “Se eu não te lavar, não terás parte comigo”.

9 Simão Pedro disse: “Senhor, então lava não somente os meus pés, mas também as mãos e a cabeça”.

10 Jesus respondeu:

“Quem já se banhou não precisa lavar senão os pés, porque já está todo limpo.

Também vós estais limpos, mas não todos”.

11 Jesus sabia quem o ia entregar; por isso disse:

“Nem todos estais limpos”.

12 Depois de ter lavado os pés dos discípulos, Jesus vestiu o manto e sentou-se de novo.

E disse aos discípulos: “Compreendeis o que acabo de fazer?

13 Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, pois eu o sou.

14 Portanto, se eu, o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros.

15 Dei-vos o exemplo, para que façais a mesma coisa que eu fiz.

Rezando a Palavra

 

Salmo – (Sl 115)

O cálice por nós abençoado/ é a nossa comunhão com o sangue do Senhor.

Que poderei retribuir ao Senhor Deus/

por tudo aquilo que ele fez em meu favor?/

Elevo o cálice da minha salvação,/

invocando o nome santo do Senhor.

É sentida por demais pelo Senhor/

a morte de seus santos, seus amigos./

Eis que sou o vosso servo, ó Senhor,/

mas me quebrastes os grilhões da escravidão!

Por isso oferto um sacrifício de louvor, /

invocando o nome santo do Senhor./

Vou cumprir minhas promessas ao Senhor/

na presença de seu povo reunido.