Isto é meu corpo… Isto é meu sangue (Mc 14,12-16.22-26) | Paróquia Divino Salvador

Isto é meu corpo… Isto é meu sangue (Mc 14,12-16.22-26)

Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo

Evangelho – Mc 14,12-16.22-26

12 No primeiro dia dos Ázimos,
quando se imolava o cordeiro pascal,
os discípulos disseram a Jesus:
‘Onde queres que façamos os preparativos
para comeres a Páscoa?’
13 Jesus enviou então dois dos seus discípulos
e lhes disse: ‘Ide à cidade.
Um homem carregando um jarro de água
virá ao vosso encontro. Segui-o
14 e dizei ao dono da casa em que ele entrar:
‘O Mestre manda dizer: onde está a sala
em que vou comer a Páscoa com os meus discípulos?’
15 Então ele vos mostrará, no andar de cima,
uma grande sala, arrumada com almofadas.
Ali fareis os preparativos para nós!’
16 Os discípulos saíram e foram à cidade.
Encontraram tudo como Jesus havia dito,
e prepararam a Páscoa.
22 Enquanto comiam, Jesus tomou o pão
e, tendo pronunciado a bênção,
partiu-o e entregou-lhes, dizendo:
‘Tomai, isto é o meu corpo’.
23 Em seguida, tomou o cálice, deu graças,
entregou-lhes e todos beberam dele.
24 Jesus lhes disse:
‘Isto é o meu sangue, o sangue da aliança,
que é derramado em favor de muitos.
25 Em verdade vos digo,
não beberei mais do fruto da videira,
até o dia em que beberei o vinho novo
no Reino de Deus’.
26 Depois de terem cantado o hino,
foram para o monte das Oliveiras.

Refletindo a Palavra

Corpus Christi, “Corpo de Cristo”. Tão sublime Sacramento não poderia ter um tratamento diferente por parte da Igreja: um dia especial dedicado somente a ele. O Cristo Palavra, que no altar se faz Pão da Vida e Vinho da Salvação. Dentro da Missa não é local apropriado para a Adoração ao Santíssimo. A Quinta-feira Santa, dia da instituição da Eucaristia e do Sacerdócio também não comporta um merecido destaque exclusivo ao Santíssimo Sacramento. Daí a Igreja dedicar um dia especial, inteiramente a tão grande Dom de Deus à sua Igreja. Esse dia é o “Dia de Corpus Christi”.
Jesus Eucarístico merece todo o nosso carinho e respeito. Ele nunca pede muito; mas Ele sempre exige tudo. Tudo o que somos, todo o nosso coração. Não importa o quanto isso seja – pouco ou muito. Comungar com o Senhor no Pão e no Vinho, seu Corpo e seu Sangue, e não conseguir distingui-Lo na pessoa do irmão, é “não recebê-Lo dignamente”. Quando comungamos, Cristo nunca vem só. Com ele vem toda a comunidade de fé com os carentes, os necessitados, aqueles que nos olham pedindo, quem sabe um simples “bom dia”. Não é possível comungar do Corpo do Senhor, e dizer “que tenho eu a ver com os problemas do meu irmão?!”.
Nesse dia tão sublime para a nossa fé católica, peçamos a Maria, a Mãe do Divino Salvador, que com sua intercessão nos torne melhor preparados para recebê-Lo, uma vez que reconhecemos que DIGNOS jamais o seremos. Que cada vez nos conscientizemos da grandeza que é receber a Jesus na Sagrada Eucaristia. Que nunca nos aproximemos da Mesa Eucarística por mera conveniência, ou mesmo sem saber a Quem recebemos. “Graças e louvores se dêem a todo momento – Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento!”

Santa Missa