“Eu sou o pão que desceu do céu.”

19º Domingo do Tempo Comum

Evangelho de Jesus Cristo segundo João 6,41-51

Naquele tempo:
41 Os judeus começaram a murmurar
a respeito de Jesus, porque havia dito:
‘Eu sou o pão que desceu do céu’.
42 Eles comentavam:
‘Não é este Jesus, o filho de José?
Não conhecemos seu pai e sua mãe?
Como então pode dizer que desceu do céu?’
Jesus respondeu:
‘Não murmureis entre vós.
44 Ninguém pode vir a mim,
se o Pai que me enviou não o atrai.
E eu o ressuscitarei no último dia.
45 Está escrito nos Profetas:
`Todos serão discípulos de Deus.’
Ora, todo aquele que escutou o Pai
e por ele foi instruído, vem a mim.
46 Não que alguém já tenha visto o Pai.
Só aquele que vem de junto de Deus viu o Pai.
47 Em verdade, em verdade vos digo,
quem crê, possui a vida eterna.
48 Eu sou o pão da vida.
49 Os vossos pais comeram o maná no deserto
e, no entanto, morreram.
50 Eis aqui o pão que desce do céu:
quem dele comer, nunca morrerá.
51 Eu sou o pão vivo descido do céu.
Quem comer deste pão viverá eternamente.
E o pão que eu darei
é a minha carne dada para a vida do mundo’.

 

Meditando a palavra

A liturgia do 19º Domingo do Tempo Comum dá-nos conta, uma vez mais, da preocupação de Deus em oferecer aos homens o “pão” da vida plena e definitiva. Por outro lado, convida os homens a prescindirem do orgulho e da auto-suficiência e a acolherem, com reconhecimento e gratidão, os dons de Deus.
A primeira leitura mostra como Deus Se preocupa em oferecer aos seus filhos o alimento que dá vida. No “pão cozido sobre pedras quentes” e na “bilha de água” com que Deus retempera as forças do profeta Elias, manifesta-se o Deus da bondade e do amor, cheio de solicitude para com os seus filhos, que anima os seus profetas e lhes dá a força para testemunhar, mesmo nos momentos de dificuldade e de desânimo.
O Evangelho apresenta Jesus como o “pão” vivo que desceu do céu para dar a vida ao mundo. Para que esse “pão” sacie definitivamente a fome de vida que reside no coração de cada homem ou mulher, é preciso “acreditar”, isto é, aderir a Jesus, acolher as suas propostas, aceitar o seu projecto, segui-l’O no “sim” a Deus e no amor aos irmãos.
A segunda leitura mostra-nos as consequências da adesão a Jesus, o “pão” da vida… Quando alguém acolhe Jesus como o “pão” que desceu do céu, torna-se um Homem Novo, que renuncia à vida velha do egoísmo e do pecado e que passa a viver no caridade, a exemplo de Cristo. (leia mais…)

Rezando a Palavra

Salmo – Sl 33,2-3.4-5.6-7.8-9 (R. 9a)

R.Provai e vede quão suave é o Senhor!

2 Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo,
seu louvor estará sempre em minha boca.
3 Minha alma se gloria no Senhor;
que ouçam os humildes e se alegrem!

4 Comigo engrandecei ao Senhor Deus,
exaltemos todos juntos o seu nome!
5 Todas as vezes que o busquei, ele me ouviu,
e de todos os temores me livrou.

6 Contemplai a sua face e alegrai-vos,
e vosso rosto não se cubra de vergonha!
7 Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido,
e o Senhor o libertou de toda angústia.

8 O anjo do Senhor vem acampar
ao redor dos que o temem, e os salva.
9 Provai e vede quão suave é o Senhor!
Feliz o homem que tem nele o seu refúgio!