Enquanto Jesus rezava, seu rosto mudou de aparência

SEGUNDO DOMINGO DA QUARESMA – ANO “C”

Evangelho – Lc 9,28b-36

Naquele tempo:

28b Jesus levou consigo Pedro, João e Tiago,
e subiu à montanha para rezar.
29 Enquanto rezava, seu rosto mudou de aparência
e sua roupa ficou muito branca e brilhante.
30 Eis que dois homens estavam conversando com Jesus:
eram Moisés e Elias.
31 Eles apareceram revestidos de glória
e conversavam sobre a morte,
que Jesus iria sofrer em Jerusalém.
32 Pedro e os companheiros estavam com muito sono.
Ao despertarem, viram a glória de Jesus
e os dois homens que estavam com ele.
33 E quando estes homens se iam afastando,
Pedro disse a Jesus: ‘Mestre, é bom estarmos aqui.
Vamos fazer três tendas:
uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias.’
Pedro não sabia o que estava dizendo.
34 Ele estava ainda falando,
quando apareceu uma nuvem que os cobriu com sua sombra.
Os discípulos ficaram com medo
ao entrarem dentro da nuvem.
35 Da nuvem, porém, saiu uma voz que dizia:
‘Este é o meu Filho, o Escolhido.
Escutai o que ele diz!’
36 Enquanto a voz ressoava, Jesus encontrou-se sozinho.
Os discípulos ficaram calados
e naqueles dias não contaram a ninguém
nada do que tinham visto.

Refletindo a Palavra

As leituras deste domingo convidam-nos a refletir sobre a nossa “transfiguração”, a nossa conversão à vida nova de Deus; nesse sentido, são-nos apresentadas algumas pistas.
A primeira leitura apresenta-nos Abraão, o modelo do crente. Com Abraão, somos convidados a “acreditar”, isto é, a uma atitude de confiança total, de aceitação radical, de entrega plena aos desígnios desse Deus que não falha e é sempre fiel às promessas.
A segunda leitura convida-nos a renunciar a essa atitude de orgulho, de auto-suficiência e de triunfalismo, resultantes do cumprimento de ritos externos; a nossa transfiguração resulta de uma verdadeira conversão do coração, construída dia a dia sob o signo da cruz, isto é, do amor e da entrega da vida.
O Evangelho apresenta-nos Jesus, o Filho amado do Pai, cujo êxodo (a morte na cruz) concretiza a nossa libertação. O projeto libertador de Deus em Jesus não se realiza através de esquemas de poder e de triunfo, mas através da entrega da vida e do amor que se dá até à morte. É esse o caminho que nos conduz, a nós também, à transfiguração em Homens Novos.
(Leia mais)

Rezando a Palavra

Salmo – Sl 26,1.7-8.9abc.13.14

R. O Senhor é minha luz e salvação.

1 O Senhor é minha luz e salvação;
de quem eu terei medo?
O Senhor é a proteção da minha vida;
perante quem eu tremerei? R.

7 Ó Senhor, ouvi a voz do meu apelo,
atendei por compaixão!
8 Meu coração fala convosco confiante,
é vossa face que eu procuro. R.

9a Não afasteis em vossa ira o vosso servo,
sois vós o meu auxílio!
9b Não me esqueçais nem me deixeis abandonado,
9c meu Deus e Salvador! R.

13 Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver
na terra dos viventes.
14 Espera no Senhor e tem coragem,
espera no Senhor! R.