Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo… (Mt 28,16-20)

Evangelho – Mt 28,16-20

Conclusão do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus

Naquele tempo:
16 Os onze discípulos foram para a Galiléia,
ao monte que Jesus lhes tinha indicado.
17 Quando viram Jesus, prostraram-se diante dele.
Ainda assim alguns duvidaram.
18 Então Jesus aproximou-se e falou:
‘Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra.
19 Portanto, ide e fazei discípulos meus todos os povos,
batizando-os em nome do Pai
e do Filho e do Espírito Santo,
20 e ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei!
Eis que eu estarei convosco todos os dias,
até ao fim do mundo’.

Refletindo a Palavra

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito. Como cristãos, assim iniciamos e terminamos todas nossas ações, empreendimentos, reuniões da comunidade de fé, pedimos a bençãos, etc. Invocamos as Pessoas da Santíssima Trindade, invocamos o nosso Deus, que é Único. Ao dizermos “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”, estamos dizendo o mesmo que “Em nome de Deus”. Quando digo “Deus” estou me referenciando à Trindade. Não é correto dizer apenas “Deus Pai”, ou “Deus Filho”, nem “Deus Espírito Santo”. Deus é “Pai, Filho e Espírito Santo”. Pode-se dizer “o Pai”, ou “o Filho”, ou “o Espirito Santo”. No entanto, ao se usar termo “Deus” já se está referindo à Trindade – Pai, Filho e Espírito Santo.
Nesse domingo, Solenidade da Santíssima Trindade, celebramos o maior mistério da nossa fé. O mais profundo de Deus. Deus é família de Amor, é comunidade, é nosso modelo ideal de vida comunitária. A razão humana ao longo da história vem tentando compreender tão grande mistério. Chegando em determinado momento, no entanto,se vê obrigada à retornar ao ponto de partida, a Fé, e dizer: “Sim, creio, embora não entenda plenamente”. Jesus Cristo não fez exposição teológica a respeito da Trindade. Teólogos e filósofos, no decorrer da história, vêm se aprofundando no entendimento das Pessoas Divinas.
Resta-nos dizer, fazendo coro com Santo Tomás de Aquino: “Venha a fé por suplemento, os sentidos completar”. O maravilhoso, porém, nos é permitido saber sem duvidar: somos filhos DO Pai, NO Filho, PELO Espírito Santo. Se temos um Pai, que é Deus, devemos nos tratar a todos como irmãos. A comunidade desses irmãos, compõe o Corpo Místico cuja cabeça é Jesus Cristo, o enviado do Pai. E a sustentação, a coesão desse Corpo Místico é mantida, é sustentada pelo Espírito Santo. Em tudo basta saber: DEUS É AMOR.

 REZE, CANTANDO JUNTO (CLIQUE AQUI)