“Deus fará justiça aos seus escolhidos que gritam por ele.”

29º DOMINGO Tempo Comum

Evangelho de Jesus Cristo Segundo Lucas – Evangelho – Lc 18,1-8

Naquele tempo:
1 Jesus contou aos discípulos uma parábola,
para mostrar-lhes a necessidade de rezar sempre,
e nunca desistir, dizendo:
2 ‘Numa cidade havia um juiz que não temia a Deus,
e não respeitava homem algum.
3 Na mesma cidade havia uma viúva,
que vinha à procura do juiz, pedindo:
`Faze-me justiça contra o meu adversário!’
4 Durante muito tempo, o juiz se recusou.
Por fim, ele pensou:
‘Eu não temo a Deus, e não respeito homem algum.
5 Mas esta viúva já me está aborrecendo.
Vou fazer-lhe justiça,
para que ela não venha a agredir-me!”
6 E o Senhor acrescentou:
‘Escutai o que diz este juiz injusto.
7 E Deus, não fará justiça aos seus escolhidos,
que dia e noite gritam por ele?
Será que vai fazê-los esperar?
8 Eu vos digo que Deus lhes fará justiça bem depressa.
Mas o Filho do homem, quando vier,
será que ainda vai encontrar fé sobre a terra?’

Refletindo a Palavra

A Palavra que a liturgia de hoje nos apresenta convida-nos a manter com Deus uma relação estreita, uma comunhão íntima, um diálogo insistente: só dessa forma será possível ao crente aceitar os projectos de Deus, compreender os seus silêncios, respeitar os seus ritmos, acreditar no seu amor.
O Evangelho sugere que Deus não está ausente nem fica insensível diante do sofrimento do seu Povo… Os crentes devem descobrir que Deus os ama e que tem um projecto de salvação para todos os homens; e essa descoberta só se pode fazer através da oração, de um diálogo contínuo e perseverante com Deus.
A primeira leitura dá a entender que Deus intervém no mundo e salva o seu Povo servindo-Se, muitas vezes, da acção do homem; mas, para que o homem possa ganhar as duras batalhas da existência, ele tem que contar com a ajuda e a força de Deus… Ora, essa ajuda e essa força brotam da oração, do diálogo com Deus.
A segunda leitura, sem se referir directamente ao tema da relação do crente com Deus, apresenta uma outra fonte privilegiada de encontro entre Deus e o homem: a Escritura Sagrada… Sendo a Palavra com que Deus indica aos homens o caminho da vida plena, ela deve assumir um lugar preponderante na experiência cristã.

Rezando a palavra

Salmo – Sl 120,1-2.3-4.5-6.7-8 (R. Cf. 2)

R.Do Senhor é que me vem o meu socorro,
do Senhor que fez o céu e fez a terra.

1 Eu levanto os meus olhos para os montes:
de onde pode vir o meu socorro?
2 ‘Do Senhor é que me vem o meu socorro,
do Senhor que fez o céu e fez a terra!’

3 Ele não deixa tropeçarem os meus pés,
e não dorme quem te guarda e te vigia.
4 Oh! não! ele não dorme nem cochila,
aquele que é o guarda de Israel!

5 O Senhor é o teu guarda, o teu vigia,
é uma sombra protetora à tua direita.
6Não vai ferir-te o sol durante o dia,
nem a lua através de toda a noite.

7 O Senhor te guardará de todo o mal,
ele mesmo vai cuidar da tua vida!
8 Deus te guarda na partida e na chegada.
Ele te guarda desde agora e para sempre!