A Caminho da Páscoa – CF2019 – Políticas Públicas – Saúde Pública

Por estarmos refletindo em todo o país, nesta Campanha da Fraternidade, sobre as Políticas Públicas, apresentamos uma reflexão sobre um gesto concreto que merece a atenção e preocupação de todos nós cristãos, como forma de garantir a saúde a todas as pessoas. A Pastoral Fé e Política da Arquidiocese de São Paulo e o Conselho do Laicato da Região Sé (CNLB Sé), elaboraram esta carta como sugestão de AGIR da Campanha da Fraternidade:

A caminho da Páscoa

Quaresma é tempo de conversão; entretanto, como sabemos, ninguém está livre de se iludir com jejuns, orações devocionais, vias-sacras, esmolas, sem que haja real mudança na vida do dia a dia, sem que haja mudança de mentalidade e atitude.
Se o coração é sinceramente aberto, acolherá a mensagem que chega todos os anos por meio da Campanha da Fraternidade. Neste ano, a proposta é que se descubra que o amor vai muito além da doação de bens materiais aos irmãos necessitados, que o amor se compromete a garantir Políticas Públicas que os atendam e que impeçam que outros também se tornem necessitados.
A caridade implica necessariamente engajamento, cobrança e controle das Políticas Públicas, pois é por meio delas que todos nós teremos vida digna de cidadãos e filhos de Deus.
Jesus veio para que todos tenham vida. Como está hoje a saúde pública em nosso país? Sabemos que está sendo submetida a corte de verbas e corre o risco de desaparecer para dar lugar apenas aos planos de saúde.
Que será dos irmãos que dependem unicamente do SUS (Sistema Único de Saúde)?
O SUS é o grande gesto de solidariedade de todos para com todos: precisamos, sempre, garantir o direito à saúde e vigiar e lutar para que a dotação orçamentária do SUS corresponda às exigências de qualidade deste serviço.
O SUS tem três princípios:

  • UNIVERSALIDADE (saúde como direito de todos e dever do Estado, com base em um sistema único, público e gratuito);
  • EQUIDADE (mais cuidado e atenção para quem mais precisa, no sentido da construção da igualdade e da justiça social);
  • INTEGRALIDADE (plena integração das ações e serviços, desde a promoção da saúde, prevenção de doenças e agravos, tratamento e reabilitação).

Sua característica fundamental é a PARTICIPAÇÃO POPULAR (desde a formulação das políticas até o seu controle, distinguindo-se assim de todos os demais sistemas públicos de saúde do mundo).
Mesmo com o grave quadro de pouco financiamento e a necessidade de avanços na gestão pública, nosso SUS se desenvolveu, tornou-se referência no cuidado da Atenção Básica, de média e alta complexidade.
Um fruto bem concreto de conversão nesta Quaresma será defender este sistema de saúde universal e 100% público para chegarmos à Pascoa.
DEFENDA O SUS!